Translate

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Quando nos encontramos cercados pelas dificuldades, emerge em nosso ser uma grande interrogação:
- O que eu vou fazer agora ?
Nem sempre conseguimos responder a esta questão, porém  às vêzes somos auxiliados por outras pessoas para encontrar a solução. Mas na bíblia temos alguma resposta ?
 
Sim, temos o exemplo daqueles que enfrentaram grandes  provações e triunfaram sobre elas. Olhemos para o exemplo de Jó. Depois de ter perdido  as suas riquezas  (bois, jumentas, camelos, ovelhas), seus servos, seus filhos e até a própria saúde ele ouviu sua mulher  lhe dizer "Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre" - Jó 2:9. 
    Tudo isso não abalou a fidelidade deste homem de Deus, ele manteve a sua fé e acreditou que o Senhor iria socorrê-lo (Jó 19:25).


Ele venceu a provação e recebeu tudo em dobro porque permaneceu fiel, crendo em Deus.
 "E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía. Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro. E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas. Também teve sete filhos e três filhas - Jó 42:10-13."  Este é o primeiro segredo: ser fiel e confiar em Deus (manter a fé). 
 
 Temos outros exemplos de pessoas que sobreviveram em tempos difíceis em que a morte era quase certa. Nos dias de Elias, quando Deus cerrou os céus, pelas palavras da sua  profecia, este homem Deus viveu algum tempo bebendo da água do ribeiro de Querite e pela manhã e  tarde comia pão e carne que os corvos lhe traziam. Porém quando as águas do ribeiro se secaram, o Senhor lhe ordenou que fosse a uma cidade chamada Sarepta.
 
 Ao chegar ali encontrou uma viúva apanhando lenha. Ele a chamou e lhe pediu água para beber. Quando ela trouxe ele lhe pediu também um bocado de pão. A viúva lhe respondeu:"Vive o SENHOR teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui apanhei dois cavacos, e vou prepará-lo para mim e para o meu filho, para que o comamos, e morramos - 1 Reis 17:12." Mas o profeta insistiu: "Não temas; vai, faze conforme à tua palavra; porém faze dele primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois farás para ti e para teu filho. Porque assim diz o SENHOR Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o SENHOR dê chuva sobre a terra.E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias -1 Reis 17:13-15."  
 Esta mulher e o seu filho sobreviveram milagrosamente em um tempo de escassez, fome e sequidão por um motivo: deu ouvidos à voz de Deus. Encontramos nessa história o segundo segredo para vencer em tempos difíceis - obedecer à Palavra de Deus.

Às vezes a vitória sobre ao maus dias e os tempos difíceis é conquistada antes mesmo que eles cheguem. Mas mesmo assim ela é construída sobre o alicerce da fidelidade e da obediência à Palavra de Deus. 
E neste caso há mais um segredo: Economizar, ou seja, nunca gastar tudo. Ter sempre uma reserva para o futuro. Aqueles gastam muito, não estão preparados para vencer os tempos de crise. E o melhor exemplo é o do filho pródigo (Lucas 15:11-32) que  pediu ao seu  pai a parte da fazenda que lhe pertencia e depois de alguns dias foi para uma terra distante. Longe do pai, este moço viveu esbanjando toda a fortuna que recebera. Gastou tudo e como havia uma grande fome naquela terra começou a padecer necessidades.  Foi apascentar porcos, começou sofrer e a passar fome. 


  Diante dessas dificuldades sua única alternativa foi voltar para a casa do pai, porque não podia vencer a provação daqueles dias difíceis.  
 Porém se não tivesse gastado tudo, ao contrário tivesse economizado, reservado recursos para os dias maus, venceria aquela provação.Não precisaria voltar humilhado para a casa do pai. E se um dia voltasse, voltaria bem sucedido, com seus bens e com a certeza que sobreviveu  aos dias mais difíceis de sua vida.
 

 Qualquer que seja o momento que estejamos vivendo agora, dias bons ou dias maus, devemos nos lembrar de que para vencer é preciso ser fiel a Deus, confiar nele, ter fé, obedecer à sua Palavra, não viver desperdiçando tudo,  ou seja,  saber viver administrando salário, bens  ou recursos da melhor forma possível e  não se esquecer de economizar um pouco para o futuro. 



.



quinta-feira, 10 de maio de 2012

  
“Respondendo-lhe Pedro disse: Se és tu, Senhor manda-me ir ter contigo , por sobre as águas.”  Mateus 14:28

 Jesus após alimentar uma multidão de quase cinco mil pessoas (Mt 14:21),  ordenou aos discípulos que entrassem no barco e seguissem adiante, enquanto ele ficava para despedir a multidão (Mt 14:22). Ele queria evitar  que os discípulos se contagiassem com o ímpeto da massa que após a multiplicação dos pães queria fazê-lo Rei (João 6:14-15). Tendo despedido a multidão ele subiu  ao monte para orar(Mt 14:23).  Os discípulos no barco, no meio do mar,  enfrentavam um  vento forte e as ondas que açoitavam a embarcação ( Mt 14:24).

 Jesus mandou-os de encontro com o que eles mais temiam: o mar bravo e tempestuoso (Mt 14:22,24) . O mar representa tudo o que tememos.  Quando os discípulos enfrentavam uma tempestade no mar eles tinham medo de morrer (Mt 8:23-26)
 Para vencer o medo e nossos principais temores, só temos uma arma, a nossa fé. Só ela pode vencer o medo, pois  nos dá segurança, nos  conduz ao sucesso e a vitória ( I Jo 5:4) enquanto que o medo conduz ao fracasso e à derrota (Jó 3:25)
Enquanto os discípulos enfrentavam a tempestade no mar, Jesus estava no monte em oração. É bem provável que Ele estivesse orando pelos seus discípulos. Essa  intercessão  nos faz lembrar que o apóstolo Tiago  exorta-nos  a orar uns pelos outros, porque a oração de um justo pode muito em seus efeitos (Tg 5:16)

  No meio da madrugada, na quarta vigília da noite , entre três  e seis horas da manhã, Jesus começou a caminhar sobre as águas do mar e foi ao encontro dos discípulos. Ele foi socorrê-los porque ele mesmo  é o socorro bem presente na angústia (Sl 46:1) e o nosso auxílio (Sl 33:20;108:12).
 


Sair do barco na madrugada escura sob o vento impetuoso e o mar agitado não parecia ser uma boa escolha. Porém, um dentre todos os que estavam ali, resolveu sair. A  decisão de sair para fora da embarcação seria uma loucura ? Segundo a bíblia, loucura é insensatez (tolice, estultícia) (Pv 16:22;17:12) e  louco é aquele que nega a realidade de Deus (Sl 14:1) . Sair do barco seria uma loucura, se Pedro não tivesse pedido ao Senhor para manda-lo ir até Ele.
  Pedro pergunta ao mestre: Senhor! se és tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas” - Mateus 14:28. Ele sabia que o Senhor poderia fazê-lo caminhar sobre as águas, ainda que isso parecesse impossível, porém não poderia atrever-se a ir sem saber que essa era a vontade do Mestre. Essa atitude nos revela uma grande lição: caminhar por fé não é desafiar o impossível e correr grandes riscos, isso é loucura. Caminhar por fé é confiar em Deus e aceitar os desafios que Ele nos dá. Em resposta a indagação do discípulo  Jesus disse –Vem” e desafiou-o a andar sobre o mar. Pedro obedecendo a voz do Senhor saiu da embarcação e caminhou sobre as águas. 
  Para sair do barco é preciso aceitar o chamado do Mestre, abandonar  a “segurança” ao nosso redor e enfrentar o vento contrário e a hostilidade do mar . Somente quem sai do barco pode experimentar o poder da fé, ter uma experiência sobrenatural com Deus e contemplar  milagres em sua própria vida.
  A experiência de Pedro ao caminhar sobre as águas, mostra que os desafios da vida só podem ser vencidos com coragem, fé e determinação. Enquanto Pedro se mantinha olhando para Jesus (Hb 12:2) conseguiu andar  sobre as águas. Quando olhou para o vento forte, sentiu medo e começou a afundar.
  O momento de hesitação de Pedro, nos ensina que mesmo caminhando por fé estamos sujeitos a quedas e fracassos. Essas quedas e fracassos nos dão ensinamentos e nos oferecem a  oportunidade de crescimento e desenvolvimento de nossa estatura espiritual. O mesmo homem que vacilou na fé e quase afundou  no mar, foi o homem que multidões o procuravam para que ao menos a sua sombra cobrisse os enfermos para serem curados (At 5:14-15).




É preciso ter coragem para aceitar o chamado do Senhor,  sair do barco e enfrentar os desafios que nos aguardam fora dele. Viver por fé não é viver correndo riscos, mas aceitar os desafios que nos são propostos pelo Senhor e confiar nele. Nem sempre será possível vencer, porém até mesmo as derrotas nos dão ensinamentos e lições que servem de suporte para nosso crescimento e amadurecimento  na fé.

domingo, 25 de março de 2012


"E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus" - Mateus  24:31.


Os sinais da vinda do Senhor estão à nossa vista, não há como negá-los: guerra, peste, fome, crescimento da iniquidade , escassez de amor, pouco fervor espiritual, apostasia , surgimento de falsos cristos  e falsos profetas. Estes sinais  nos alertam que o dia do arrebatamento se aproxima. Mas como será ?




 Segundo o apóstolo Paulo, o arrebatamento da Igreja  ocorrerá em segundos,  pois ele afirma que  "num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." I Coríntios 15:52.




 Podemos dizer que  será tão rápido quanto um relâmpago cruza os céus, pois o Senhor disse que  "... assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem." Mateus 24:27.



 
Será um momento de surpresa para muitas pessoas, como ocorreu no dilúvio, pois  está escrito: "... assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca. E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem."(Mateus 24:38,39)
Mateus 24:39
 não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.
Mateus 24:38-39
Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,

E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.
Mateus 24:38-39
 
Os mortos que foram salvos  serão ressuscitados e em seguida  os vivos (salvos) serão transformados e arrebatados ao som da trombeta: "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro." ( I Tessalonicenses 4:16)





Ao toque das  trombetas serão  levados  os que estiverem vigiando (Mateus 24:42,45-46),  esperando pelo Senhor (Mateus 24:44) e que lavaram as suas vestes no sangue do Cordeiro de Deus (Apocalipse  22:14  ARC).

 Ocorrerá o encontro dos escolhidos com o Senhor no céu conforme Paulo disse: "Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor." (I Tessalonicenses 4:17) 

Precisamos portanto estar atentos e  preparados  para este dia,  porque somente os que estiverem prontos e vigiando  ouvirão o som da trombeta de Deus. 
1 Tessalonicenses 4:16
Mateus 24:40-41

                                 
                                                                                                                     Saudações em Cristo.
                                                             


quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012


“Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;” -  Efésios 6:14


A palavra verdade vem do latim veritate e pode ser definida como sinceridade, boa fé, coisa verdadeira, realidade, princípio certo ou  exatidão.
Mas na Bíblia o que significa ?  


Cada um tem a sua própria concepção, porém nós entendemos que esse termo só pode ter três definições:

- uma regra de conduta, (falar a verdade)  como em João 3:21, onde Jesus disse: ”Mas quem pratica a verdade vem para luz, a fim de que suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” 
Esse tipo de conduta revela uma formação de caráter, que não permite  viver contando mentiras ou conduzir-se com falsidade e engano. Ao contrário leva-o à uma vida marcada pela  sinceridade e boa fé.


- uma referência a Jesus,  pois ele trouxe a mensagem iluminada  do Evangelho e a revelação dos mistérios do reino de Deus.  Também por sua natureza e atributos, pois ele é justo, santo, verdadeiro e conhecedor de todas as coisas. Ele mesmo declarou:“ Eu sou o caminho, a verdade e a vida.”  “... E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”  -  João 14:6; 8:32,36. 
        Ele é a verdade que liberta o homem do engano, do pecado, da maldade e de todos os poderes das trevas.



-  a Palavra de Deus,    porque  o salmista declara que ela  “... é a verdade desde o princípio,” e é luz para o  caminho - Salmos 119:160,105.



 


Concluímos portanto, que  para estarmos cingidos com a verdade, devemos  viver com uma  conduta embasada na sinceridade, nos ensinos de Jesus e na prática da Palavra de Deus.


terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” Tiago 4:7 (ACF)

Desde que recebemos o evangelho em nossos corações e passamos a viver na luz, entramos numa batalha espiritual contra o pecado, contra as trevas e  o próprio diabo. 


Nós entregamos nossas vidas a Deus e passamos a viver com ele, desde então, quando sofremos,  ele sofre conosco, quando somos perseguidos ele também é perseguido.


Para vencermos os inimigos vorazes da nossa alma, precisamos do Senhor Jesus pois ele próprio afirmou:

“...sem mim nada podeis fazer” ( João 15:5).
Por isso, nessa batalha só podemos vencer nosso adversário, nos submetendo à vontade Deus, deixando  que o querer dele prevaleça sobre o nosso.


Muitos pregam que não devemos ser humildes na oração porque somos filhos de Deus, porém a Palavra de Deus nos exorta o contrário, pois diz:
“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo vos exalte. Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” ( I Pedro 5:6,7)

Entendemos portanto, que para resistir ao inimigo, precisamos buscar  a presença de Deus com humildade.

Outra coisa que não podemos nos esquecer é contra quem estamos lutando. Pela Bíblia entendemos que o adversário  era um “querubim ungido” (Ezequiel 28:14) que se tornou rebelde, iníquo, quis usurpar o trono de Deus (Isaías 14:13,14), foi precipitado do céu (Isaías 14:12) e levou consigo a terça parte dos anjos (Apocalipse 12:4).

Este querubim se tornou o diabo, e os anjos que o seguiram se tornaram os demônios. Ele é uma criatura rebelde e não pode vencer o nosso Deus, o Criador que é Todo Poderoso. Acima de tudo cremos que, conforme diz a escritura ...”sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos...” II Pedro 2:9.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012


Não são poucos os que têm surgido tentando explicar o mistério do nome de Deus. O que para muitos não parece  ser um enigma, na verdade é um quebra-cabeças  sem fim. 


Deus se revelou a Moisés no Monte Horebe, declarou-lhe o Seu Nome, "YHWH",   (Ex 3:13-15) e  mais tarde entregou-lhe os Dez Mandamentos (Ex 20:3-17) que incluiam  a ordem: "Não tomarás o nome do Senhor,   teu Deus em vão." Êxodo 20:7. 


 Com  base nesse mandamento os hebreus passaram a ter temor de pronunciar o nome de Deus,  e entenderam que deveriam pronunciá-lo somente em solenidades especiais, como no Dia da Expiação (Yom Kipur).


Em outras ocasiões, no contexto religioso, eles pronunciavam "Adonai" (Senhor) e fora dele, em conversações, HaShem (O Nome). 


Alguns afirmam que para não profanar o nome de Deus,"YHWH",  eles deixaram de pronunciá-lo, 

e somente os sacerdotes o pronunciavam no templo em Jerusalém. Além dissso, depois da dispersão dos judeus pelo mundo, é possível que, mesmo conservando as tradições religiosas, onde o hebraico era ensinado, tenha se perdido a pronúncia correta.

Hoje entre judeus e estudiosos das escrituras não existe um consenso, pois alguns acreditam que a pronúncia é "YAUÊe outros "YAOUHÚ", "YÁHU"  ou "YAHOU". 


Para completar o mistério, em nossas Bíblias o nome santo de Deus foi traduzido para nós por "SENHOR" ( Adonai ), possivelmente sob a influência dos judeus. Mas será que isto interfere em nossa salvação ?

Acredito que não, pois Abraão, o servo de Deus, nosso pai na fé, possivelmente não conhecia o nome santo de Deus (Êxodo 6:3). Ele conhecia a Deus como o "Deus Todo Poderoso" (Gênesis 17:1) e provavelmente onde é referido o nome sagrado, explica-se pelo fato de que quem escreveu o livro de Gênesis (Moisés) conhecia este nome. 

Independentemente da forma como se referiu ao nome de Deus, porém considerando-se que foi com reverência, temor e fé,  Abrão foi abençoado e salvo.

Do mesmo modo, nós que somos filhos dele pela fé, seguindo o seu exemplo seremos também abençoados e salvos. Desde que obedeçamos a Palavra de Deus, sejamos fiéis ao nosso Deus, creiamos em Seu Filho e continuemos a perseverar na  doutrina dos apóstolos. 

Quanto ao mistério do nome santo de Deus, um dia será revelado e o  " ... SENHOR será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o SENHOR, e um será o seu nome. (Zacarias 14:9)


Shalom Adonai












Seguidores